Luciana Saudade, de Carlos Heitor Cony

Postei nesta sexta-feira, dia 5 de janeiro, primeira sexta de 2018, um vídeo sobre um dos livros paradidáticos que li na minha infância. Nos anos 90, os livros obrigatórios na escola eram nesse estilo.

Vocês acham que os de hoje são mais leves ou mais pesados, mais densos ou superficiais…? acho que depende muito das escolas, se são públicas ou privadas, dos estados e certamente, dos países e do que é considerado como uma literatura básica, indispensável para a formação de uma criança ou de um jovem. Na minha escola, líamos muito Machado de Assis, Graciliano Ramos, Cony e muitos paradidáticos escritos por autores como o Carlos Heitor Cony.

Na época em que eu li o “Luciana”, eu me deliciei com a liberdade que ela tinha de passear sozinha pelos parques, ir e voltar sozinha da escola, experiência que meu irmão e eu não tivemos, senão depois dos 17 anos, e com o maior dos cuidados e inúmeras precauções. Crescer no Rio de Janeiro, nos anos 90, não foi fácil. Tínhamos acesso a cursos, livros, viagens de férias, brinquedos e muitas atividades extra-curriculares mas não tínhamos a leveza das crianças que podiam brincar na rua, sozinhas, sem supervisão. Havia muitos sequestros de crianças, a multiplicação de casos de abuso e nossos pais e avós que cresceram mais livres e mais autônomos tinham medo por nós.

Mas não reclamo! Tive muita sorte e muitas oportunidades de estudo e de cultura, mas sou fruto de uma cultura apartada da experiência da Luciana e por isso ler sobre como era sua vida, numa época delicada da história, a ditadura militar no Brasil, que foi terrível para alguns, mas símbolo de segurança e de progresso para outros tantos, me enche de leveza, me dá asas. Caminho pela leitura com a mesma segurança e independência da Luciana.

Triste coincidência que 1 dia depois da publicação do vídeo, o Cony tenha falecido. Para muitos, ele deixará saudades, além das obras de qualidade, para outros tantos, ele será lembrado como um comunista e menos.

E você como vai se lembrar dele?

Comenta aqui embaixo e assista ao vídeo:

 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *