Ler é ter o mundo nas mãos!
Cartas a Théo, Vincent Van Gogh

Vincent Van Gogh, Cartas a Théo   Adiei ao máximo o início da leitura do livro, adiei e adiei sempre lendo outros textos antes de começar mas na verdade eu estava com medo de começar o ano numa decaída! Estava com medo de entrar em uma leitura fúnebre e angustiante rótulo que eu estava dando às cartas de Van Gogh a seu irmão Theo e me surpreeendi com o início do livro, pois Van Gogh trata de amenidades. As primeiras cartas são conselhos sobre em quais artistas Theo deveria prestar atenção e quais livros deveria ler. São cartas de um irmão mais velho dando conselhos ao irmãozinho. Já fiz um vídeo aqui pro canal, vou deixar o link aqui em cima, em que eu falo um pouco sobre os aspectos principais da vida do Vam GoGh, enfatizei mais o período turbulento. Mas hoje gostaria de complementar essas informações com outras que pertencem a um período anterior e mais plácido da vida de Vincent. Vincent nasceu em 1853, em Groot Zundert, o filho mais velho de 6. Seu sobrenome fez um marco na história dos burgueses eminentes desde o século XVI. Muitos de seus parentes eram comerciantes de arte e apaixonados por…

Os Romanov : o fim da dinastia, Robert K. Massie

Os Romanov: o fim da dinastia Neste livro há um brilhante mas doloroso desdobramento dos últimos meses de vida da família Romanov. Esse período já foi trabalhado pelo Massie na obra monumental, a primeira que eu li, Nicolau & Aleksandra. Mas neste aqui é como se Massie ainda não tivesse esgotado tudo o que sabe sobre todo o sofrimento que a família Romanov viveu nos diferentes cativeiros até sua brutal execução em julho de 1918. Eles ficaram presos por 16 meses. Não sei se comentei com vocês que o Massie se interessou por essa história porque teve um filho hemofílico, assim como o Aleksei o filho de Nicolau. Quero com esse livro denunciar o horror dos sovietes. Quero junto com Massie, denunciar o horror do que houve. Vamos dar nome aos bois. Não vamos comemorar a revolução russa porque não há nada a ser comemorado. Com meus vídeos anteriores pretendi mostrar a simplicidade do casal Nicolau e Aleksandra e das 4 meninas e do Aleksei. Com as cartas deles, diários e outros documentos. Yurovsky Ermakov líder bolchevique local O triste é que foi por pouco. Apenas oito dias depois do massacre o exército branco tomou Ekaterinburg mas já era tarde demais…

Nosso Dossiê Romanov

Vamos então ao processo de descoberta dos corpos que só se tornou possível pelo encontro de dois homens incríveis. O geólogo Aleksander Avdonin e Geli Ryabov, que nasceu e viveu no Ural, que escutou muito do folclore em torno da família romanov. Ele que visitou a casa de Ipatiev antes da sua demolição por ordem do governo já que a área estava ameaçando se tornar um local de peregrinação, todos que gostavam dos Romanov queriam ir até lá. E o cineasta Geli Ryabov que estava produzindo um filme sobre a polícia civil soviética ou milícia ( que tratava de crimes não políticos diferentemente da KGB). Em 1976, 50 anos depois, Ryabov visitou a casa de Ipatiev, convenceu os guardas a deixá-lo descer ao porão e depois ele afirma que: Sabem que eu me sinto um pouco assim com relação aos Romanov? Inexplicavelmente eu sinto uma tremenda vontade de saber o que aconteceu, de refazer a história para libertar a memória e a história desse mistério tortuoso. Mas como esses 2 caras se encontraram? Visitando o local e perguntando aqui e ali, Ryabov que era um homem famoso em Moscou, chegou a Avdonin, por indicação do chefe da MVD, e unindo…

Romanov: the final chapter never ends…

Sabe quando alguém te dá o “resumo da ópera” e te conta em poucas palavras o essencial de uma história longuíssima?! Pois é. Esta é a ideia! Neste vídeo eu te ajudo a entender em pouco tempo a descoberta dos ossos dos Romanov e os principais cientistas e investigadores envolvidos nisso tudo. Assista e fique por dentro de tudo! Aproveita e se inscreve lá no meu canal no YouTube porque às terças e sextas, às 19h tem sempre uma história incrível esperando por você! 🎉🎉🎉🎉🎉❤️❤️❤️❤️❤️  

Bartleby, o escriturário /Bartleby o escrevente
livros , novela , século XIX , Sem categoria / 4 de dezembro de 2017

Esta é uma novela incrível, do grande escritor Herman Melville. Escrita em 1853, depois da grande fama de “Moby Dick”, publicado em 1851, Melville pretendia começar a enviar narrativas que fossem publicáveis em jornais, já que sua fama se estancara com o lançamento da Odisseia de um homem contra uma baleia cachalote. Aqui Melville se dedica a uma verdadeira etnografia dos escriturários ou copistas de uma empresa de advocacia, que é propriedade do narrador da história. Bartleby era um funcionário que apareceu de repente em resposta a um anúncio já antigo que o advogado colocara num jornal solicitando um novo empregado. O narrador se assume e se descreve como um “advogado de pouca ambição, que na suave tranquilidade de um retiro sossegado, realiza um trabalho sossegado com títulos, hipotecas e escrituras de homens ricos” (Melville, 1853, “Bartleby, o escriturário, extraído da versão eletrônica da obra para Kindle). Já para Bartleby, a descrição é bem diferente “Sua expressão era tranquila; seus olhos cinzentos, calmos e opacos. (…) palidamente limpo, tristemente respeitável, incuravelmente pobre” (Melville, 1853, “Bartleby, o escriturário, extraído da versão eletrônica da obra para Kindle). Bartleby começa a trabalhar na empresa mas rapidamente começa a causar problemas com sua “educada arrogância”,…

Kafka e a Boneca Viajante , livro de Jordi Sierra i Fabra
Sem categoria / 4 de dezembro de 2017

Um dia eu vou enquadrar o mar que vejo da janela do meu quarto. Porque quando escrevo algum material para os vídeos eu me sento de frente para o mar, do alto, mas de modo a poder vê-lo e a sentir a brisa que começa e vai varrendo tudo desde o horizonte. O mar e as viagens… mas também poderia ser um parque e as viagens diárias que são feitas no seu terreno. Nesse terreno, nesse espaço mítico do parque é que Kafka vai resolver uma equação dolorosa que reune uma boneca perdida e uma menina em prantos. A pena do escritor faz uma incisão na realidade e lhe dá um desfecho inesperado. Alguém que criava universos possíveis com a sua escrita, Kafka se vê diante de uma grande tarefa, já no final de sua breve vida, quando ele já se encontrava aposentado, por conta da tuberculose, de sua carreira de funcionário de uma companhia de seguros, no início dos anos 1920.Essa tarefa é encarar uma experiência que o narrador da história, o escritor espanhol Jordi Sierra i Fabra, formula tão bem na seguinte pergunta: “Por que a dor infantil é tão poderosa?” (Jordi S. i Fabra, p. 21). Kafka…

O que são as fábulas?
Sem categoria / 21 de outubro de 2017

Muitos de vocês me pediram para falar mais sobre as fábulas de Esopo. Por isso, hoje, eu trago aqui mais duas histórias bem simpáticas mas não menos imperativas do que as outras presentes no livro. Antes de chegar a elas, vamos conhecer um pouco mais sobre a estrutura da fábula? Do latim fabula, é uma conversação ou relato curto e rápido, marcada pela presença de um forte conteúdo moral, aliada a uma estrutura dramática. ASSISTA AO VÍDEO ABAIXO PARA SABER MAIS: FÁBULAS DE ESOPO, LEIA e SE ENCANTE!    

A história do Chanel N°5
Sem categoria / 19 de outubro de 2017

Gostando ou não de perfume, você já deve ter ouvido falar nesse grande carro-chefe da Maison Chanel, inaugurada e mantida por uma das maiores estilistas de todos os tempos. O Chanel N. 5 foi a primeira fragrância a ser lançada pela marca e fez um sucesso estrondoso, mas você conhece a história que está por trás da invenção de sua fórmula? A história química e a história de amor? Entao assista ao vídeo e descubra o mistério do CHANEL N.5