Ler é ter o mundo nas mãos!
A Revolução Russa, vídeo 2

Vídeo 2 sobre a Revolução Russa. Minhas referências básicas nesta série de vídeos que acabei de começar são: A Revolução Russa, de Richard Pipes; Nicolau & Aleksandra, de Robert K. Massie; Autopsy of an empire, de Dmitri Volkogonov; Nos meus vídeos eu conto pra vocês sobre minha experiência com esses autores e a ênfase que cada um dá a determinado aspecto da história da Rússia.

O mestre de Petersburgo, J.M. Coetzee

Oi, Pessoal Hoje eu trago pra vocês um vídeo sobre um livro incrível que eu já li 2 vezes e que, se tivesse mais tempo e menos livros para ler, eu leria de novo. Dá pra devorá-lo em 2 tardes ou no espaço de um dia mesmo, como você preferir. Ler essa obra é como visitar a Rússia imperial! O interessante é que a narrativa tem aquele gostinho de Rússia, de romance de Dostóievski e sem sê-lo. O Coetzee nos faz mergulhar na São Petersburgo e na juventude da época (1867-1869), ambas devastadas pelos movimentos anarquistas. O ápice do livro é o encontro de Dostóievski com Nietchaiev, o líder mais importante  dos diversos grupos de jovens que semeiam assassinatos e ataques na cidade em nome “da justiça do povo”. A história nasce a partir de uma possibilidade aberta na realidade. Quando Dostoiévski volta a São Petersburgo, entre 1868 e 1869. O livro mistura os sonhos conturbados de Dostóievski, sua vida de jogador, suas dívidas e sua vida no exterior, em Dresden, na Alemanha, com sua segunda esposa, Ana Grigorievna. Fazia 2 anos que ele acabara de escrever o Jogador. (1866-7) O livro começa com a chegada de Dostóievski à cidade de…

Uma breve história do Perfume
educação , história , livros , século XIX , século XVIII / 31 de dezembro de 2017

Você adora perfume mas aposto que não sabe muito sobre as origens desse objeto cultural tão indispensável e tão revelador da identidade, tanto para os homens quanto para as mulheres! Você sabia que o perfume tem sua origem nos antigos rituais religiosos dos egípcios e aos poucos foi sendo incorporado aos hábitos seculares com a produção sistemática de fragrâncias alavancada pelos gregos e em seguida pelos romanos? No vídeo que eu fiz sobre essa história fascinante há muitas outras informações que vão cativar você e tornarão a experiência de usar um perfume muito mais interessante!

Notas sobre minha leitura do Romanov

Depois de ter ter lido o incrível “Nicolau & Alexandra: o último casal Romanov”, do historiador Robert K. Massie, decidi fazer esse vídeo comentando o livro e suas diversas seções e falando da minha experiência com essa leitura. Dá uma conferida e deixa seu comentário se você já leu esse livro ou está pensando em começar a lê-lo!  

Bartleby, o escriturário /Bartleby o escrevente
livros , novela , século XIX , Sem categoria / 4 de dezembro de 2017

Esta é uma novela incrível, do grande escritor Herman Melville. Escrita em 1853, depois da grande fama de “Moby Dick”, publicado em 1851, Melville pretendia começar a enviar narrativas que fossem publicáveis em jornais, já que sua fama se estancara com o lançamento da Odisseia de um homem contra uma baleia cachalote. Aqui Melville se dedica a uma verdadeira etnografia dos escriturários ou copistas de uma empresa de advocacia, que é propriedade do narrador da história. Bartleby era um funcionário que apareceu de repente em resposta a um anúncio já antigo que o advogado colocara num jornal solicitando um novo empregado. O narrador se assume e se descreve como um “advogado de pouca ambição, que na suave tranquilidade de um retiro sossegado, realiza um trabalho sossegado com títulos, hipotecas e escrituras de homens ricos” (Melville, 1853, “Bartleby, o escriturário, extraído da versão eletrônica da obra para Kindle). Já para Bartleby, a descrição é bem diferente “Sua expressão era tranquila; seus olhos cinzentos, calmos e opacos. (…) palidamente limpo, tristemente respeitável, incuravelmente pobre” (Melville, 1853, “Bartleby, o escriturário, extraído da versão eletrônica da obra para Kindle). Bartleby começa a trabalhar na empresa mas rapidamente começa a causar problemas com sua “educada arrogância”,…

OS ROMANOV: o fim da dinastia

Neste livro há um brilhante mas doloroso desdobramento dos últimos meses de vida da família Romanov. Esse período já foi trabalhado pelo Massie na obra monumental, a primeira que eu li, Nicolau & Aleksandra. trágico Mas neste aqui é como se Massie ainda não tivesse esgotado tudo o que sabe sobre todo o sofrimento que a família Romanov viveu nos diferentes cativeiros até sua brutal execução em julho de 1918.  

Madame Bovary: trechos inesquecíveis
educação , literatura francesa , livros , Romance , século XIX / 21 de novembro de 2017

De minha leitura da obra e de minha releitura também feita esse ano com vocês lá no meu canal, https://www.youtube.com/channel/UCjZxSYYrACBnmC5cFDQzX_Q Ficaram na memória e nos cadernos alguns trechos inesquecíveis e quero neste post compartilhar alguns com vocês. « Elle devenait irritable, gourmande, et voluptueuse; et elle se promenait avec lui dans les rues, tête haute, sans peur, disait-elle, de se compromettre » (Gustave Flaubert, p.261). « Ce fut moins par vanité que dans le seul but de lui complaire. Il ne discutait pas ses idées; il acceptait tous ses goûts; il devenait sa maîtresse plutôt qu’elle n’etait la sienne » (p. 262). « Où donc avait-elle appris cette corruption, presque immatérielle à force d’être profonde et dissimulée? » (p. 263).