Ler é ter o mundo nas mãos!
“O amor nos tempos do Cólera”, Gabriel García- Márquez, vídeo 4: Finalizando a leitura de março

Este é o final da história! Não o final completo porque não vou antecipar nada crucial do desfecho do livro, da cidade, do amor e da Companhia Fluvial do Caribe! Hoje encerramos nossa leitura do mês de março de 2018. Espero que vocês gostem e que um dia leiam o livro!   https://www.youtube.com/edit?o=U&video_id=uXG8LUco5Zs  

Ninguém escreve ao Coronel, novela de Gabriel García Márquez
literatura latinoamericana , novela , Romance / 12 de novembro de 2017

Umidade. Lama. Intestinos agitados. Outubro, um mês de tormento e de chuva. E uma longa espera para um Coronel. o livro começa com um frio chuvoso de outubro e com as tripas inquietas do Coronel. As idas ao correio todas as sextas-feiras. O bolso vazio. A casa também se esvaziando com a venda dos objetos, as paredes hipotecadas e … 1 galo. O galo de Augustín, o filho morto por um soldado numa rinha, é a descendência simbólica do Coronel e de sua esposa. Navegando entre a lama atual e o passado, o livro é enxuto e se assemelha a uma enumeração perfeita de títulos, de palavras que vão costurando a história e refazendo-a diante dos nossos olhos. O escritor colombiano, Gabriel García Márquez, nasceu em 1928, em Aracataca. Esse nome, tão eufônico, agradável aos ouvidos, sempre foi para mim, desde a minha infância, um sinônimo do maravilhoso e do fantástico. Eu me lembro de minhas tias conversando sobre os livros dele, sobre os volumes nas estantes da casa da minha avó. Todas as mulheres da minha família pareciam me dizer que eu tinha que ler Gabriel Garcia Márquez e eu deveria começar pelo “Cem anos de solidão”, que contava…